top of page

Robôs do Mercado Livre: Revolução na Logística com 100 Mil Compras Organizadas Diariamente

Os novos robôs do Mercado Livre, que trabalham por 8 horas consecutivas, são capazes de organizar até 100 mil compras diariamente. Esses dispositivos podem movimentar até 600 quilos de mercadorias, otimizando o processo de separação de entregas em 20%.

Robô adotado pelo Mercado Livre em seu centro de distribuição em Cajamar (SP) — Foto: Divulgação

Com um investimento anunciado de R$ 23 bilhões, o Mercado Livre está focando em melhorias logísticas, fintechs, mercado publicitário e ações para aumentar a produtividade. A empresa adotou robôs no centro de distribuição SP04, em Cajamar, que processa cerca de 500 mil pedidos diários, ou seja, 347 pedidos por minuto.

De acordo com Fernando Yunes, presidente da operação brasileira, a empresa possui atualmente 100 robôs que passaram por testes durante três meses. Este número deve aumentar para 334 até o final do ano. Os robôs reduzem em 20% o tempo de separação de mercadorias, acelerando as entregas aos clientes.

Fabricados pela empresa chinesa Quicktron, os robôs são semelhantes a aspiradores automáticos pintados de amarelo e têm capacidade para levantar até 600 quilos. Eles trabalham por oito horas antes de retornarem à base para recarregar. Diariamente, os 100 robôs em operação movimentam 2,5 mil prateleiras.


Esses robôs aceleram processos anteriormente manuais, onde funcionários precisavam mover itens no centro de distribuição. Agora, os robôs levam as prateleiras até os funcionários, que as abastecem com produtos antes de serem enviados para a embalagem e, posteriormente, para os caminhões de entrega.

Robôs autônomos no centro de distribuição - Ilustrativo

Com a expansão do uso dos robôs, até 22% da separação de pedidos será automatizada, correspondendo a cerca de 100 mil compras diárias. No próximo ano, o Mercado Livre planeja expandir essa iniciativa para mais centros de distribuição e outros países, aumentando a produtividade e economizando espaço. Apesar da automação, a empresa continua contratando. O Mercado Livre tinha prometido 6,5 mil contratações, mas deve chegar a 11 mil, aumentando o quadro de funcionários de 22 mil para 33 mil até o final de 2024.Dois novos centros de distribuição serão abertos em Porto Alegre (RS) e Brasília, como parte do investimento crescente no Brasil. Yunes destaca que os investimentos em 2024 serão ainda maiores que os previstos R$ 23 bilhões.


O Mercado Livre é líder em acessos a sites de comércio eletrônico no Brasil, segundo a Conversion, seguido pela Shopee e Amazon. OLX e Magazine Luiza também estão entre os cinco mais acessados.

Sobre a concorrência com novas plataformas, o fundador e CEO Marcos Galperín diz que o Mercado Livre está acostumado ao ambiente competitivo e prevê que o comércio eletrônico continuará crescendo nos próximos dez anos.

Referente à taxação de compras internacionais, Galperín afirma que a empresa se adapta aos regulamentos de cada país, e que a taxação beneficiaria os vendedores nacionais na plataforma. Se necessário, o Mercado Livre aumentará suas operações de importação.

 

Comments


bottom of page